sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Top 100 - música #87

Brigitte Bardot
No ano de 1967, Serge Gainsburg era o namorado de Brigitte Bardot — o símbolo sexual do cinema da época —, para quem dedicou uma das maiores composições da música francesa, bem como, talvez, a mais polêmica canção daquele século: "JET'AIME... MOI NON PLUS".
Também ele era uma celebridade na França. Cantor, compositor, poeta, ator, diretor e produtor de artes das mais variadas, embora seus dotes artísticos fosse mais regional, enquanto sua namorada era a mulher mais desejada no mundo inteiro.
Pois bem, Gainsburg e Bardot até gravaram a dita canção naquele mesmo da composição. Sim, além de encantar os olhos, ela cantava. Confiando nas aptidões do garanhão, ela havia pedido para ele escrevesse "a mais bela canção de amor de todos os tempos". Numa bela noite, veio-lhe a inspiração e ele materializou "JET'AIME... MOI NON PLUS".
A princípio ela gostou do trabalho finou, mas achou "muito quente" e pediu a Gainsburg para arquivá-la. Ele, claro, obedeceu — por um tempo.
Dois anos depois ele se envolveu amorosamente com a atriz britânica Jane Birkin e desengavetou a composição para mostrá-la. Ela topou a gravação e o sucesso foi estrondoso: mais de 4 milhões de cópias do álbum de lançamento. Mas a repercussão dividiu opiniões.
Considerada erótica, a canção foi banida em vários países e em outros a vendagem foi liberada mediante uma etiqueta sobre a capa, com letras garrafais: "Proibido para menores de 21 anos". Especulou-se que a gravação fora executado durante um ato sexual real — negado pelos intérpretes, embora fosse evidente que os gemidos representavam sim orgasmo. O single entrou oficialmente na lista negra do Vaticano, conforme nota publicada no L'Osservatore Romano.
Seria possível pensar nesta canção como uma peça de arte, levar em conta a sua originalidade, sua interpretação, seus arranjos instrumentais... sem condicioná-la a uma apologia ao sexo banal? Para muitos, não, mas eu assim a concebo, colocando-a na posição #87 da minha lista das cem mais importantes canções românticas internacionais.


"JE T'AIME... MOI NON PLUS"
"EU TE AMO... NÃO MAIS QUE EU"

- Je t'aime je t'aime, Oh oui je t'aime
Eu te amo, te amo, oh, sim, te amo
- Moi non plus
Não mais que eu
- Oh mon amour
Oh, meu amor
- Comme la vague irrésolue
Como uma nota irresoluta
Je vais, je vais et je viens entre tes reins
Eu vou, eu vou e eu venho entre tua cintura
Je vais et je viens entre tes reins
Eu vou, eu vou e eu venho entre tua cintura
Et je me retiens
E eu me detenho
- Je t'aime je t'aime, oh oui je t'aime
Eu te amo, te amo, oh, sim, te amo
- Moi non plus
Não mais que eu
- Oh mon amour, tu es la vague, moi l'île nue
Oh, meu amor, tu és a onda, eu, a ilha nua
Tu vas, tu vas et tu viens, entre mes reins
Tu vens, tu vens e tu vais em minha cintura
Tu vas et tu viens, entre mes reins
Tu vens e tu vais em minha cintura
Et je te rejoins
E eu me junto a ti
- Je t'aime je t'aime, oh oui je t'aime
Eu te amo, te amo, oh, sim, te amo
- Moi non plus
Não mais que eu
- Oh mon amour
Oh, meu amor
- L'amour physique est sans issue
O amor físico é sem esperança
Je vais je vais et je viens entre tes reins
Eu vou, eu vou e eu venho em tua cintura
Je vais et je viens je me retiens
Eu vou, eu vou e eu venho em tua cintura
- Non! Maintenant viens...
Não! Agora não! Vem!

Espero que não me condene pela inclusão da música #87. E só para constar, a gravação original, de Serge com Bardot pode ser ouvida clicando aqui.
Vale destacar, dentre outras versões, a adaptação para disco de Donna Summer e o pop de Pet Shop Boys.

* * *

No mais, suavizando um pouco as coisas — pelo menos dos terrenos mais calientes —, estou preparando para a publicação da música #86 um hit mais suave, embora um tanto trágico — como muitos "amores". É uma espécie de "grito de alerta", daquelas indiretas bem diretas.
Vale a pena esperar.